Israel: a terra que mana leite, mel e vinho

E nos trouxe a este lugar, e nos deu esta terra (Canaã/Israel), terra que mana leite e mel. (Dn 26:9)

 

Tive a honra de ser convidado pela Israel Trade & Investiment Brazil (ITIB) para uma degustação incrível de vinhos israelenses que aconteceu a partir de uma parceria entre eles e a Associação Brasileira de Sommelier (ABS - Paraná), em Curitiba, no dia 31 de outubro no restaurante Porcini.

A ITIB é um órgão vinculado ao Ministério da Economia do Governo israelense com o objetivo de fomentar os negócios entre Brasil e Israel.

 

Atualmente Israel é o único país, que não faz parte do Mercosul, com redução em tarifas de importação com o Brasil e até 2019 quase todos os produtos de lá terão isenção total sobre estes impostos.

 

 

O evento contou com a presença do Consul para Assuntos Econômicos, Daniel Kolbar , Gerente de Desenvolvimento de Negócios da Israel Trade & investiment Brazil, Paula Pensak, o Diretor Executivo da Associação Brasileira de Sommeliers do Paraná, Fábio Carnielli e também o Sr. Eduardo Paes de Andrade, representante da  Inovini (importadora de vinhos) e a Sommelier Daniele da Silveira , da Albee (importadora de produtos Kosher).

 

Nesta noite tivemos a oportunidade de degustar alguns rótulos das vinícolas Golan Heights (importação da Inovini), Carmel e Montefiori (ambos de importação da Albee).

 

Em 2016 tive o prazer de ir a Israel e descobrir que lá não existe apenas os famosos vinhos doces que são usados nas cerimônias religiosas, mas também vinhos finos de alta qualidade que batem de frente com grandes vinhos do velho e novo mundo. Neste momento vi que não eram só leite e mel que manava por lá.

 

SOBRE ISRAEL

Localizada no  Oriente Médio, Israel é conhecida popularmente por ser o berço das três principais religiões monoteístas do planeta (cristianismo, islamismo e judaísmo)

 

O pequeno país possui área de apenas 22.145 km² (aproximadamente 0,26% da área do Brasil), sendo 470km de comprimento e e 135km em seu ponto mais largo. Faz fronteira ao norte com o Líbano, Nordeste com a Síria, ao leste com a Jordânia, com o Egito a sudoeste e com o Mar Mediterrâneo a oeste. A sua população é  de aproximadamente 8.9 milhões de habitantes com um PIB Per Capita de US$ 36.000,00.

 

A indústria de alimentos e bebidas de Israel se destaca pela alta tecnologia empregada em seus processos e também pelo seu foco em desenvolvimento de produtos saudáveis, sem glúten e sem lactose. Outro diferencial da indústria israelense é a flexibilização na customização de sabores, embalagens e etc, facilitando  o relacionamento com as demais indústrias pelo mundo e se tornando uma ótima fonte de produtos para " private label".

 

 

ISRAEL E O VINHO

Israel e o vinho possuem uma história de mais de 6.000 anos e passou por diversos momentos de altos e baixos. Foi a partir de 1880 que aconteceu a maior revolução de qualidade na produção de vinhos na região, com a primeira onda de retorno do povo judeu a terra de Israel e a ajuda do Baron Edmond de Rothchild (Lafite), foram plantados novos vinhedos, trazidas novas castas de uvas (principalmente as francesas) e desta forma renasceu o mercado de vinhos da região.

 

Após os anos 80 houve uma nova revolução de qualidade no país, profissionais mais experientes  trouxeram para o país o seu know how e transformaram a indústria  vinicultora.

 

Atualmente, Israel possui mais de 300 vinicolas sendo 40 delas de grande porte e 250 de pequeno porte e são cultivados aproximadamente 5.500 hectares. Os principais mercados exportadores são a América do Norte (55%) e a Europa (30%).

 

O clima:

O clima da região é mediterrâneo, com verões secos e quentes, invernos curtos  e neve nas regiões montanhosas. Há pouca precipitação de chuva pelo país.

 

O solo:

O Solo varia de vulcânico, ao Norte,  à vermelho arenoso, na costa e calcário nas montanhas.

 

Principais regiões vitivinícolas:

As uvas são plantadas praticamente em todo o país mas as principais regiões produtoras de vinhos são: Galiléia, Shomron, Samson, Judéia e Deserto do Negev.

 

As castas plantadas na região:

Cabernet Sauvignon, Merlot, Shiraz, Cabernet Franc, Carignan, Chardonnay e Sauvignon Blanc.

 

 

 

O QUE SÃO VINHOS KOSHER?

A Cashrut é a lei dietética da religião judaica. Nela, estão descritas todas as obrigações referentes a alimentação que o judeu deve seguir.

 

Por se tratar de um alimento, o Vinho, não poderia estar isento desta lei, e por isso,  durante a sua produção diversas regras devem ser observadas para que o produto final possa ser considerado kosher (pronuncia-se kashér). Essa preocupação baseia-se, também, na justificativa de que alimentos Kosher não são alimentos apenas para o corpo são, principalmente, para a alma.

 

As principais regras para a produção destes vinhos são:

 

 

1-) As videiras tem que ter maisde  4 anos de idade e a cada 7 anos a sua produção deve ser descartada, respeitando assim um "ano sabático" para as plantas.

 

2-) As videiras tem que crescer sem intervenção sendo admitido o uso de adubos orgânicos somente até dois meses antes da colheita.

 

3-) A colheita das uvas deve ser manual e a mão de obra utilizada deve ser de um judeu. O processo de plantação, colheita e cultivo não pode acontecer durante o Shabat (dia do descanso, acontece do nascer da primeira estrela na sexta feira e vai até o nascer da primeira estrela no sábado).

 

4-) As uvas devem chegar em perfeito estado para o armazenamento.

 

5-) A partir do momento que a uva chega para a produção, todo o processo é supervisionado por um Rabino que tem a função de atestar que todas as leis religiosas foram cumpridas durante o processo.

 

6-) Para a religião judaica, as uvas não podem ser pisoteadas, esse processo torna elas impuras.

 

7-) Só é permitido o uso de leveduras nativas. Não é permitido o uso de enzimas ou bactérias externas que induzam a fermentação maloláctica. A única forma de clarificação do vinho permitida é o uso da bentonita.

 

8-) Um vinho Kosher só pode ser vinificado em tanques de aço inoxidável. A utilização de barris só é permitida para o envelhecimento, desde que os barris tenham sido produzidos conforme a lei judaica.

 

9-) Os vinhos só podem ser engarrafados em garrafas novas, produzidas sob supervisão rabínica. De acordo com os preceitos judaicos, é necessário conhecer profundamente os fornecedores de cada insumo da indústria alimentícia, sabendo quem os produz, de que maneira, e com quais matérias-primas.

 

10-) Quando o vinho fica pronto e é aprovado pelo rabino, a garrafa recebe um selo de certificação. A partir desse momento, as garrafas podem ser manuseadas por qualquer pessoa, desde que sejam abertas e servidas exclusivamente por um judeu.

 

11-) 1% de toda a renda obtida através da venda do vinho deve ser destinada a caridade.

 

Vinhos Degustados:

 

 

Vinícola: Golan Heights (Importado pela Inovini)

Vinho: Hermon White - 2015 - Preço médio R$ 103,00

Castas: Chardonnay, Sémilion, Sauvignon Blanc e Viognier

 

Sobre: Produzido com uvas de vários vinhedos situados nas Colinas Do Golan (região mais fria de Israel). A fermentação acontece em tanques de aço inox em baixas temperaturas com o objetivo de de preservar o frescor e aromas primários das uvas. Após a fermentação o vinho amadurece em tanques de inox durante algumas semanas.

 

Visual: Amarelo esverdeado

Aroma: Floral e frutas amarelas

Paladar: Casca de laranja, Abacaxi, Goiaba, Maçã verde.Possui ótima acidez  e frescor.

Vinícola: Golan Heights (Importado pela Inovini) -

Vinho: Hermon White - 2015 - Preço médio R$ 103,00

Castas: Cabernet Sauvignon, Merlot, Cabernet Franc,Malbec e Petit Verdot.

Graduação alcoólica: 14,0%

 

Sobre: Produzido com uvas de vários vinhedos situados nas Colinas Do Golan (região mais fria de Israel). A fermentação acontece em tanques de aço inox em temperatura controlada. Após a fermentação o vinho é submetido a fermentação maloláctica em tanques de aço inox durante alguns meses.

 

Visual: Rubi intenso

Aroma: Frutas vermelhas,, cereja framboesa,especiarias e ervas.

Paladar: Bastante frutado, boa estrutura, taninos equilibrados e boa acidez.

Melhor vinho da noite

Vinícola: Golan Heights (Importado pela Inovini)

Vinho: Hermon White - 2015 - Preço médio R$ 273,00

Castas: Cabernet Sauvignon

Graduação alcoólica: 14,5%

 

Sobre: Produzido com uvas dos melhores vinhedos da vinícola situados ao norte e centro das Colinas do Golan e também da Galiléia. A Fermentação ocorre em tanques de aço inox em temperatura controlada. Após a fermentação o vinho passa por fermentação maloláctica e amadurece por 18 meses em barricas de carvalho francês (40% novas)

 

Visual: Vermelho púrpuro

                                                    Aroma: Frutas negras maduras, cassis, e cereja. Notas terrosas, especiarias, tabaco e                                                        chocolate.

                                                           Paladar: Vinho de bastante corpo, complexo, taninos e acidez equilibrados.

 

Vinícola: Kerem Montefiori (importado pela Albee)

Vinho: Montefiori White - 2015 - Preço médio R$ 107,00

Castas: Colombard, Chardonnay e Semillion

Graduação alcoólica: 12%

 

Sobre: As uvas são cultivadas em solos calcários das colinas da Judéia. a fermentação é feita a frio em tanques de aço inox para preservar os aromas das frutas.

 

Visual: Amarelo Palha

Aroma: Frutas tropicais e maçã verde

Paladar: Boa acidez e corpo médio

 

 

Vinícola: Carmel(importado pela Albee)

Vinho: Carmel selected - 2015 - Preço médio R$ 60,00

Castas: Cabernet Sauvignon

Graduação alcoólica: 14,5%

 

Sobre: Feito com uvas exclusivamente do Monte Carmel

Visual: Rubi Intenso

Aroma:Pimentão, pimenta preta e tabaco e frutas negras.

Paladar: Boa acidez e taninos moderados

 

 

 

Vinícola: Kerem Montefiori (importado pela Albee)

Vinho: Montefiori Cabernet Sauvignon - 2014 - Preço médio R$ 95,00

Castas: Cabernet Sauvignon (85%) e  Petit Verdot (15%)

Graduação alcoólica: 13%

 

Sobre: 50% envelhecido em barrica de carvalho

 e 50% em inox

Visual: Rubi intenso

Aroma: Frutas vermelhas,cereja e amora, café e couro

Paladar: Amanteigado, Taninos redondos e acidez equilibrada.

Vinícola: Carmel(importado pela Albee)

Vinho: Moscato di Carmel -2015 - Preço médio R$50,00

Castas: Moscato

Graduação alcoólica: 6%

 

Sobre: Vinho semi-doce com leve enfervecência.

Aroma:Frutas cítricas e pêssego

Paladar: Baixa acidez, aromas de abacaxi, melão e goiaba.

 

 

 

 

 

 

Galeria de fotos do evento:

 

 


 

 

 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

© 2017 por Wine´n Food